Você está aqui: Página Inicial / Serviços / Blog +Leitura BCo / Clássicos das emoções humanas

Clássicos das emoções humanas

por Blog + Leitura — publicado 24/11/2017 00h00, última modificação 16/02/2018 11h35
Colaboradores: Fúlvio Galhardo (Estagiário, DeRef)
Ler é também sentir

Introdução

Coração partido, suar frio, borboletas no estômago… São sensações humanas que estabelecem uma relação entre mente e corpo. As emoções têm o poder de nos ajudar a enfrentar e sobreviver às diversas situações que acontecem em nossa vida ou a nos render e apenas sentir, seja bom, seja mau. Diante de uma desilusão ou uma perda, por exemplo, nosso cérebro nos transmite tristeza e nos obriga ao conforto e ao costume de nossa própria solidão para obtermos estratégias de superação e assim crescermos como seres humaninhos.

Os livros também nos trazem reflexões sobre nossas sensações. Muitos autores exploram as facetas dos sentimentos e nos ajudam a entender um pouco mais sobre nós mesmos e sobre os que estão em nossa volta. Por isso o Blog Mais Leitura traz no post dessa sexta um apanhado de obras clássicas sobre as emoções humanas, para amar, odiar ou simplesmente sentir.

 

1 O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry

Figura 1 - O Pequeno Príncipe.

Fonte: Fúlvio Galhardo, 2017.

Um dos livros mais traduzidos do mundo, “O Pequeno Príncipe” é um clássico que, apesar de possuir como aparente alvo o público infantil, encanta qualquer idade. Aliás, diria que é um livro essencial para adultos, pois debate diversas questões a respeito do “ser” adulto e a perda de aspirações da infância para se encaixar em um contexto social.

A história trata de um piloto que cai com seu avião em um deserto. Ali encontra uma criança loura com a qual passa a conversar. O pequeno príncipe conta sua longa jornada até o planeta Terra, fala sobre seu planeta de origem e os outros planetas que encontra em seu caminho, deparando-se com diversos personagens que nos fazem refletir sobre diferentes questões e aspectos do ser humano, como no planeta onde o Príncipe encontra o homem de negócios, que conta as estrelas afirmando possuí-las sem nem refletir o porquê de possuí-las ou de seu trabalho contando-as. Merece destaque também o encontro do garoto com a raposa, ponderando sobre o amor e a criação de laços.

O Pequeno Príncipe discute e transmite diversas emoções e valores, como a amizade, o orgulho, o amor, a lealdade e a busca de si mesmo.

Este livro pode ser encontrado sob o código EJ S137p.18 no Piso 2.

 

2 O Morro dos Ventos Uivantes, de Emily Brontë

Figura 2 - O Morro dos Ventos Uivantes (versão em inglês).

Fonte: Fúlvio Galhardo, 2017.

Lançado em 1847, “O Morro dos Ventos Uivantes” é um romance que conta uma história de amor, mas distancia-se do aspecto clichê de uma história “de princesa” com final feliz. Na verdade, estabelece uma forte relação de sentimento vingativo, onde todos possuem seu lado bom e mal, o que retrata a essência humana com seus defeitos amplificados. No fim, é uma história que trata de inevitabilidade.

Heathcliff é um órfão acolhido pelo Sr. Earnshaw e era muito querido pelo homem, o que despertou um profundo ciúmes no filho mais velho, Hindley, mas grande afeição da caçula Catherine. Quando os pais morrem, Hindley assume a propriedade e utiliza todos os meios possíveis para humilhar e maltratar Heathcliff. Ele também é colocado de lado por Catherine, que ama-o, porém tem consciência de suas diferenças sociais e sabe que viverá melhor com um homem rico. Isso desperta em Heathcliff um sentimento de vingança para com todos os que o humilharam.

Um livro que desperta sentimentos extremos, o ódio ou a adoração, prende o leitor não pela simpatia aos personagens, visto que muitas vezes estes personagens causam repulsa por seus sentimentos maldosos, porém leva-nos a adorar a história.

Esse livro pode ser encontrado sob o código G 823 B869m.6 no Piso 2.

 

3 Hamlet, de William Shakespeare

Figura 3 - Hamlet (versão em inglês).

Fonte: Fúlvio Galhardo, 2017.

Uma das obras mais conhecidas do mundo, a história de Hamlet inicia-se com a aparição do fantasma do rei Hamlet avisando seu filho (também chamado de Hamlet) que fora assassinado por seu próprio irmão, Cláudio, que torna-se então, amante da rainha Gertrudes e presente rei. A forma como Hamlet reage ao saber da verdade de tamanha tragédia é a questão central do drama.

Hamlet aprofunda-se em um drama psicológico questionando se deve ou não conceber o ato de vingança assassinando seu tio. Talvez seja esse um dos motivos da peça ser tão conhecida e apreciada, pois ela proporciona uma grande interação com o leitor fazendo-o refletir a respeito das inquietações e angústias do personagem, do peso ético e filosófico diante de sua situação. Hamlet é um homem comum, com seus erros e acertos, com suas convicções e dúvidas, com suas alegrias e tristezas, que se vê diante de uma tragédia e agoniza com a responsabilidade de sua “missão”. “Ser ou não ser? Eis a questão”.

A obra é uma peça que fala sobre o ato passional, o autodomínio, a solidão, a existência, entre diversos outros temas. É uma trama totalmente intelectual que fisga o leitor pelo seu enredo, mas o faz permanecer pelas passagens totalmente reflexivas.

Este livro pode ser encontrado sob o código G 792.12 S527ham no Piso 3.

 

Contato

Para mais informações, entre em contato com Departamento de Referência (DeRef) ou pelo e-mail blogmaisleitura.bco@ufscar.br ou pelo telefone (16) 3351-8135.

 

BCo nas Redes Sociais

Para receber periodicamente as informações sobre o que acontece na BCo, inscreva-se em nossos grupos do Facebook, de acordo com sua área de atuação e interesses:

Conteúdo relacionado
Sobre o Blog Mais Leitura BCo