Você está aqui: Página Inicial / Serviços / Blog +Leitura BCo / Poesias e poemas para amantes da literatura

Poesias e poemas para amantes da literatura

por Blog +Leitura — publicado 16/03/2018 00h00, última modificação 23/03/2018 11h08
Colaboradores: Beatriz Satie (estagiária, DeRef)
Conheça livros de poesias e poemas brasileiros para matar o tempo livre

Se você é um amante de literatura, você com certeza já leu pelo menos uma poesia e se você não é, provavelmente também já leu alguma poesia. No dia 21 de Março comemoramos o Dia Mundial da Poesia, e como um dos estilos literários mais conhecidos, não poderíamos deixar essa data de lado e selecionamos alguns poetas que fizeram parte da história da poesia. A poesia é uma arte que surgiu antes da escrita, através da contação de histórias em pequenos versos musicalizados. No Brasil, a poesia chegou junto com a Companhia de Jesus, especificamente com o padre José Anchieta que escreveu os primeiros versos nas praias da atual Ubatuba, SP. Depois disso, a poesia brasileira passou por várias fases, até chegar ao pós-modernismo e dentre essas fases se encontram algumas das obras aqui listadas.

Carlos Drummond de Andrade -  Amar se Aprende Amando

Figura 1 - Capa de livro

Fonte: Beatriz Satie, 2018.

Primeiro nome de nossa lista e provavelmente o mais conhecido, Carlos Drummond de Andrade foi um importante escritor da literatura brasileira. Nascido em Itabira no ano de 1902, sua primeira publicação veio em 1930 e continuou escrevendo até o seu falecimento em 1987. Dentre suas numerosas obras estão poesias e crônicas, prosas e livros infantis. Em meio a suas publicações poéticas, encontramos a obra “Amar se aprende amando”, publicado em 1985 e reúne poesias que retratam o cotidiano na visão de um homem apaixonado em comparação com objetos e situações corriqueiras sem a visão da paixão. São poemas que retratam as razões da paixão, o cotidiano dos não apaixonados e as alegrias e tristezas que vivenciamos todos os dias.

Cruz e Sousa - Poesias completas: Broquéis, faróis e últimos sonetos

Figura 2 - Capa de livro

Fonte: Beatriz Satie, 2018.

João da Cruz e Sousa foi um dos primeiros escritores negros do Brasil. Filho de escravos alforriados, recebeu educação de seus ex-senhores, e por tratá-lo como filho, posteriormente adotou o sobrenome da família (Sousa) juntamente com o seu (Cruz). Dirigiu o jornal Tribuna Popular no qual buscava combater a escravidão e o preconceito racial, e iniciou suas publicações literárias em 1893. Entre seus livros de poesia, estão as obras  Broquéis, Faróis e Últimos Sonetos. As obras estão reunidas em um único livro, e nos trazem características do simbolismo, marcados pela musicalidade.  Broquéis possui 54 poemas que buscam nos mostrar o mal como algo belo; Faróis,  obra que reúne 49 poemas que evidenciam o sofrimento da população negra com o preconceito e Últimos Sonetos composto por poemas que apresentam como tema o desejo de reconhecimento artístico, atingir a perfeição e a grandeza. São três obras que evidenciam uma evolução do poeta através de seus temas e a maneira como escreve.

Ferreira Gullar - Muitas vozes

Figura 3 - Capa de livro

Fonte: Beatriz Satie, 2018.

José Ribamar Ferreira, com o pseudônimo Ferreira Gullar, é considerado um dos mais importantes poetas brasileiros. Escreveu durante toda sua vida, passando por praticamente todas as fases importantes da poesia brasileira. Durante a Ditadura Militar, foi exilado e morou em países como a Rússia e Argentina, experiência que o fez deixar o partido comunista brasileiro. Recebeu muitos prêmios da literatura brasileira, como o Prêmio Camões, em 2010. Dentre suas obras de poesia, temos o livro Muitas Vozes, que nos traz poemas com temas relacionados a acontecimentos da vida, como a morte, a vida, a infância e o sexo. A obra foi publicada em 1999, e é composta por 54 poemas, incluindo alguns que fazem referência à perda de familiares pelo escritor.

Ana Cristina Cesar - A teus pés

Figura 4 - Capa de livro

Fonte: Beatriz Satie, 2018.

Ana Cristina Cruz Cesar começou suas primeiras citações poéticas aos seis anos de idade, para sua mãe, em 1958. Passou por intercâmbio na Inglaterra, no qual passou a dedicar-se a tradução de textos ingleses para o português. Em 1970, começou a publicar poemas em jornais da cidade e em 1979 publicou seus primeiros livros de poesias: Cenas de Abril e Correspondência Completa. Dentre seus outros livros de poesias publicados está a obra  A Teus Pés, última obra publicada pela autora e reúne os três últimas obras publicadas pela autora: Cenas de Abril, Correspondência Completa e Luvas de Pelica. São todas obras compostas por poemas que mesclam o ficcional com a autobiografia da autora, trazendo cenas cotidianas de uma pessoa.  

Adélia Prado - Bagagem

Figura 5 - Capa de livro

Fonte: Beatriz Satie, 2018.

Os primeiros versos dessa escritora vieram após o falecimento de sua mãe em 1950. Anos depois, ao formar-se em Filosofia junto com seu marido, Adélia envia seus poemas ao poeta e crítico Affonso  Romano de Sant’Anna, que as encaminha à Carlos Drummond de Andrade. Em 1975, por sugestão de Drummond, a Editora Imago publica o livro de Adélia no ano seguinte, e seu lançamento contou com nomes importantes da história e literatura brasileira, como Clarice Lispector e Juscelino Kubitschek. O livro foi nomeado Bagagem, obra composta por poemas com temas relacionados ao cotidiano, na visão da autora, sobre o amor, memória e até a própria poesia.

Conteúdo relacionado
Sobre o Blog Mais Leitura BCo