Você está aqui: Página Inicial / Serviços / Blog +Leitura BCo / O mestre do terror invade sua imaginação nesta sexta-feira 13

O mestre do terror invade sua imaginação nesta sexta-feira 13

por Blog + leitura — publicado 13/10/2017 00h00, última modificação 11/10/2017 11h20
Colaboradores: Fúlvio Galhardo
Conheça alguns livros de Stephen King para dormir de luz acesa

Figura 1 - Stephen King.

stephen king | por pinguino

Fonte: K, 2007.

 

Introdução

Se você nunca leu Stephen King, provavelmente já viu algum dos vários filmes baseados em sua obra. Quem não conhece “O Iluminado”, do diretor Stanley Kubrick? Ou “À Espera de Um Milagre”, que passava a rodo no falecido “Cine Belas Artes” do SBT? Seus livros já venderam mais de 400 milhões de cópias, sendo o nono autor mais traduzido do mundo. Stephen King encanta e assusta com sua narrativa hipnotizante, reunindo diversas referências, de Poe à Lovecraft, para construir um estilo próprio que o faz ser considerado por muitos o melhor escritor de suspense contemporâneo.

Reunimos algumas obras encontradas na BCo para compor o post de hoje, bora conferir?

 

1 Carrie, de Stephen King

Figura 2 - capa do livro.

20171010_103418.jpg

Fonte: Fúlvio Galhardo, 2017.

Carrie conta a história de uma adolescente reprimida pela mãe, uma fanática religiosa, e pelo constante bullying sofrido no colégio, que alimenta seu ódio a cada dia. Carrie aos poucos descobre que possui poderes telecinéticos, que ameaçam eclodir como vingança a todos que a fizeram mal.

Este foi o primeiro romance escrito por Stephen King. A personagem Carrie foi baseada em duas colegas do autor na época do colégio que viviam em uma realidade parecida com a da personagem. Pelo o que King soube, nenhuma das duas passaram dos 20 anos, as causas das mortes foram suicídio e epilepsia (STEPHEN KING BRASIL, 2015).

O romance foi escrito em uma época difícil. O autor trabalhava como professor de inglês no ensino médio em Maine e em uma lavanderia para complementar sua renda, vivendo em um trailer com sua esposa e dois filhos pequenos. Inicialmente iria ser um conto, seguindo os contos que King já escrevia e lucrava na época, vendendo-os para revistas adultas. Porém, para adquirir a profundidade da situação de vida da personagem, acabou virando um romance. No processo de escrita, King achou que a história não era muito boa e jogou-a no lixo. Sua esposa Tabitha foi quem resgatou o manuscrito e disse para Stephen insistir, pois tinha um bom material, ajudando-o a compor a visão feminina da personagem. O livro foi publicado em 1974 e virou um sucesso, principalmente após a adaptação cinematográfica de 1976. Com um adiantamento de 200 mil dólares pelo romance, King pôde finalmente tornar-se um escritor em tempo integral.

Além do filme de 1976, com direção de Brian De Palma e brilhante atuação de Sissy Spacek, a obra teve sequência em 1999 com “The Rage: Carrie 2”, uma outra adaptação para TV em 2002 também chamada “Carrie” e um remake em 2013, com Chloë Grace Moretz no papel de Carrie.

Este livro pode ser encontrado sob o código G 813 K54ca no Piso 2.

 

2 O Iluminado, de Stephen King

Figura 3 - capa do livro (exemplo).

9257093312_7884eae5fc_h.jpg

Fonte: Daniel Juřena, 2013.

Talvez uma das obras mais famosas do autor, “O Iluminado” conta a história de Jack Torrence é um escritor decadente que sofreu por anos com o alcoolismo. Quando consegue um emprego de zelador por uma temporada no hotel Overlook, que se esvazia de inquilinos fugindo do forte inverno, Jack vê a oportunidade de retomar seus escritos e renovar seu relacionamento com a família. Porém, as coisas não são tão perfeitas quanto parecem. As histórias do passado sombrio do hotel começam a se manifestar, enquanto o filho de Jack, Danny, revela possuir poderes sobrenaturais, capaz de ouvir pensamentos e ter visões do passado, um “Iluminado”. O isolamento bota mais lenha na fogueira nesse thriller estonteante.

A obra publicada em 1977, é o terceiro livro e primeiro best-seller do autor. King baseou alguns pontos do livro em suas próprias experiências. O Overlook foi baseado em um hotel em que o autor se hospedou no Colorado. O alcoolismo do personagem Jack Torrence reflete o vício de King na época.

Figura 4 - anúncio do filme de Stanley Kubrick, de 1980.

1980 The Shining,  Stanley Kubrick, Filming Locations | por brizzle born and bred

Fonte: Townsend, 2015.

O romance foi adaptado em 1980 por Stanley Kubrick com Jack Nicholson no papel de Jack Torrence, tornando-se provavelmente mais famoso que o próprio livro. Ainda hoje é considerado um dos melhores filmes de horror da história. Apesar disso, Stephen não gosta do filme: “As pessoas obviamente adoram o filme, e não compreendem por que eu não gosto. O livro é quente, o filme é frio [...]. No livro, existe um verdadeiro arco em que você vê este sujeito, Jack Torrance, tentando ser bom, mas que, pouco a pouco, vai se tornando maluco. E, quando assisti ao filme, Jack era louco desde a primeira cena”. King ainda completa: “E é tão misógino. Quero dizer, Wendy Torrance simplesmente é apresentada como uma dona de casa que não para de berrar. Essa não é a mulher sobre a qual eu escrevi” (GREENE, 2015).

Este livro pode ser encontrado sob o código G 813 K54i no Piso 2.

 

3 Christine, de Stephen King

Figura 5 - capa do livro.

20171010_104058.jpg

Fonte: Fúlvio Galhardo, 2017.

Conta a história de Arnie Cunninghan, um garoto anti-social, cheio de espinhas, típico arquétipo americano de estudante fracassado e humilhado. As coisas mudam quando Arnie encontra um carro, um Plymouth Fury 1958, pegando poeira no estacionamento de uma velha casa. Arnie acaba comprando o carro e chamando-o de Christine. O garoto passa a transformar-se conforme cria uma relação com o veículo, tornando-se uma figura mais resistente, dura e severa. Aos poucos percebe-se que Christine não é um simples automóvel, quando pessoas que cruzam o caminho dos dois começam a morrer. A história é narrada em grande parte pelo amigo de Arnie, Dennis Guilder, uma figura quase oposta a de Arnie, ou seja, um atleta popular, símbolo heróico. Com a evolução de Arnie, ele e Dennis tornam-se aos poucos oponentes, principalmente com a aparição de Leigh Cabot, aluna nova da escola que começa a gostar de Arnie.

Figura 6 - o modelo Plymouth Fury 1958, que serviu de inspiração para Christine.

File:Christine.jpg

Fonte: Hylnder777, 2008.

O romance foi escrito em 1983, sendo o oitavo livro de Stephen King. No mesmo ano surge uma adaptação cinematográfica dirigida por John Carpenter, “Christine - O Carro Assassino”.

Este livro pode ser encontrado sob o código G 813 K54cr no Piso 2.

 

4 A Torre Negra, de Stephen King

Figura 5 - capas dos livros.

20171010_105013.jpg

Fonte: Fúlvio Galhardo, 2017.

“A Torre Negra” é uma série de livros, considerada por muitos a magnum opus do autor e pelo próprio como sua obra mais ambiciosa, demorou 33 anos para ser concluída, começando em 1970 e terminando em 2003. A série atenua-se como uma saga de fantasia, com influências de Tolkien, criando um universo próprio, nesse caso em um ambiente de velho-oeste. Conta a história de Roland Deschain, um representante descendente de uma linhagem de pistoleiros desde que o Mundo Médio onde viviam começou a se desfazer, ou como o autor cita, “seguiu adiante”. Roland parte em busca da Torre Negra, dita o centro em que todos os mundos e universos convergem. Para isso ele persegue o chamado Homem de Preto, que pode revelar segredos passíveis de ajudá-lo em sua busca pela Torre Negra. Diversos personagens são adicionados ao “ka-tet”, um conceito de destino ao qual Roland acredita. Jake Chambers, por exemplo, é um menino que se vê no Mundo Médio após ter morrido em um atropelamento violento em Nova York, em 1977. Susannah Holmes também integra a história, uma ativista negra dos direitos civis do anos 60 que possui um distúrbio de dupla personalidade.

A série contém oito livros lançados. Em 2017 foi lançada uma adaptação cinematográfica dirigida por Nikolaj Arcel.

Este livro pode ser encontrado sob o código G 813 K54tn no Piso 2.

 

Contato

Para mais informações, entre em contato com Departamento de Referência (DeRef) ou pelo e-mail blog.maisleitura@ufscar.br ou pelo telefone (16) 3351-8135.

 

BCo nas Redes Sociais

Para receber periodicamente as informações sobre o que acontece na BCo, inscreva-se em nossos grupos do Facebook, de acordo com sua área de atuação e interesses:

 

Referências

GREENE, A. Stephen King diz que não gosta do filme O Iluminado, de Stanley Kubrick: “É muito misógino”. Rolling Stone Brasil, 2015. Disponível em: <rollingstone.uol.com.br/noticia/stephen-king-abre-o-jogo-sobre-io-iluminadoi-de-stanley-kubrick-e-tao-misogino/#imagem0>. Acesso em: 31 ago. 2017.

 

HYLNDER777. Christine. 16 jan. 2008. Disponível em: <https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Christine.jpg>. Acesso em: 10 out. 2017.

 

JUŘENA, Daniel. The Shining. 10 jul. 2013. Disponível em: <https://www.flickr.com/photos/daniel_jurena/9257093312/>. Acesso em: 10 out. 2017.

 

K, Pinguino. Stephen King. 24 fev. 2007. Disponível em: <https://www.flickr.com/photos/pinguino/409180680/>. Acesso em: 10 out. 2017.

 

STEPHEN KING BRASIL. Brilhando na Escuridão. 16 mar. 2015. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=HsbA-_HRh_8>. Acesso em: 10 out. 2017.

 

TOWNSEND, Paul. 1980 The Shining, Stanley Kubrick, Filming Locations. 28 set. 2015. Disponível em: <https://www.flickr.com/photos/brizzlebornandbred/21766015992/>. Acesso em: 10 out. 2017.